segunda-feira, 14 de junho de 2010

Joga fora no lixo

Quando estive em Salvador, chamou minha atenção a diversidade de modelos de telefones públicos: se numa esquina o orelhão tinha formato de côco, na outra era um berimbau gigante. Na China, as cabines telefônicas não são especialmente famosas por serem criativas, mas a inventividade se faz presente em outro elemento fundamental da paisagem urbana: as latas de lixo.

Abaixo, uma pequena coleção de lixeiras chinesas que coletei nas últimas semanas:


Na Grande Muralha, você pode descartar seu lixo em simpáticas casinhas de madeira.


Entrada no Lama Temple, em Beijing: se desistir de queimar incenso pra Buda, pode jogá-lo fora em recipientes belamente adornados.


Lixeira na Grande Mesquita, em Xian: proteja o meio ambiente em chinês, árabe e inglês. (Que diacho é aquilo saindo do dedo desenhado?)


Tem um caracol em cima desse cisne ou eu tô vendo coisa?


Calma, galerinha verde: tá na cara que este tronco em um parque de Xian é de plástico.


Hmm, agora esse aí na subida da Grande Muralha eu não tenho certeza... o que vocês acham?


Deserto da Mongólia Interior: camelo que se preza tem buraco pra jogar lixo dentro. 


Publicado originalmente no Boca de Gafanhoto

sábado, 5 de junho de 2010

Uma Copa, dois mundos (ou três, ou quatro...)

 

A geografia nesses tempos de Copa não importa. No Brasil, na China, na África do Sul, em qualquer canto desse mundo a Copa fica perto. Fica a uma dedada no controle remoto, uma acessada no mundo virtual, uma sentada no sofá para acompanhar os jogos ao som dos mais simpáticos e adorados narradores. A não ser por segundos do chamado delay, que atrasa as transmissões dos jogos para quem acompanha pela telinha, ou pela internet, os estádios, novos, bonitos, cheios e em formatos de zebras e girafas, aumentam a sua capacidade de dezenas de milhares para milhões, quiçá bilhões de espectadores. Nós dois estaremos lá, nesse "estádio" globalizado, seja no Brasil, ou na China. Lucas Paio, publicitário, mora em Pequim, a capital do país mais populoso do mundo. Com um delay de fuso-horário de 11 horas está Thales Machado, historiador, vivendo na pacata Belo Horizonte. Ambos acompanharão a mesma Copa, por lugares e fuso-horários diferentes, e anotarão suas impressões neste mesmo blog. 


Assim foi o parágrafo de abertura escrito pelo Thales no Uma Copa, Dois Mundos , o blog novo em folha do qual participarei durante o Mundial de 2010. Se em 1994 eu intercalava os jogos com partidas de futebol de botão, em 1998 assistia depois das minhas aulas de sétima série, em 2002 acordava no meio da madrugada pra ver o Brasil jogar e em 2006 espiava pela janela de onde trabalhava pra ver o que rolava, na Copa da África estarei aqui na China, acompanhando de uma forma nova o único evento esportivo de que realmente gosto pra caramba: cercado de pessoas de diferentes nacionalidades, em um horário convenientemente pós-trabalho e escola, e sem narração do Galvão. 

Eu já planejava comentar sobre a Copa vista da China aqui mesmo no Boca de Gafanhoto, mas aí veio o convite do Thales para criarmos um blog do zero e lá estamos nós, unindo esforços para contar como esse mundão-de-meu-Deus, tão grande e diverso, assiste a um evento mundial. Meu primeiro post, "Pra frente, Bāxī!" , já está lá contando como a chinesada chama os jogadores brasileiros na língua local. 

 
卡卡 levanta o braço e faz cara de mau num copo da Pepsi chinesa.

Mas o que seriam apenas "dois mundos", como diz o título (e nosso endereço pontocom!), cresceu para três quando o Thales ganhou, numa promoção, uma viagem pra África do Sul incluindo acompanhante, passagem e ingresso pra jogo do Brasil. Achou que ninguém ganhava esse tipo de coisa? Pois lá vai o Thales pra Copa, enriquecendo o blog com posts diretamente do evento e, de quebra, realizando seu sonho de infância. Se quer saber que diabo de promoção foi essa e como é que ele conseguiu a parada, tá tudo no blog 

Então já sabe: durante as próximas semanas, não vá esquecer o Boca de Gafanhoto (as atualizações continuam constantes aqui, e as próximas atrações incluirão um novo podcast e uma série sobre Xian, a cidade dos guerreiros de terracota), mas visite sempre o Uma Copa, Dois Mundos . O endereço é moleza de lembrar: www.umacopadoismundos.com 

Ah, e vale a convocação: se você está em qualquer parte do mundo - Estados Unidos, Irlanda, Ilha de Páscoa, Acre - e quer contribuir com o blog comentando como é acompanhar a Copa por aí, clique aqui e fique à vontade 

Quem

Lucas Paio já foi campeão mineiro de aviões de papel, tocou teclado em uma banda cover de Bon Jovi, vestiu-se de ET e ninja num programa de tevê, usou nariz de palhaço no trânsito, comeu gafanhotos na China, foi um rebelde do Distrito 8 no último Jogos Vorazes e um dia já soube o nome de todas as cidades do Acre de cor, mas essas coisas a gente esquece com a idade.

Busca no blog

Leia também


Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Crônicas de um mineiro na China


Uma história parcialmente non-sense escrita por Lucas Paio e Daniel de Pinho

Arquivo